top of page
  • Fernando Casavechia

Como ganhar mais dinheiro sendo empreiteiro?

O mercado da construção civil não é fácil. Em todos os segmentos do setor a competição é elevada e a pressão por custos sempre está presente. Isso não é diferente para prestadores de serviços, principalmente empreiteiros.

Pessoa calculando e analisando um relatório
Custos e produtividade, como equilibrar?

A pressão por custo sobre esse tipo de serviço é muito elevada. As construtoras estão sempre exigindo que os empreiteiros baixem cada vez mais os valores que cobram pelos serviços. Para o empreiteiro, por outro lado, os custos e dificuldades apenas aumentam - dificuldade de contratação de mão de obra especializada e alta informalidade afetam muito os seus custos.


A dificuldade em contratar mão de obra é um dos principais problemas da construção civil mundial, e a tendência é que o problema só piore. Nos Estados Unidos, até 2030, é esperado que 40% da mão de obra ativa na construção civil pare de trabalhar e a taxa de renovação de profissionais não vai suprir essa falta de pessoas. Logo, teremos que produzir mais com menos gente.


Então como se diferenciar no mercado e ganhar mais?


Imagem em vetor mostrando 2 pessoas trabalhando como empreiteiros e uma mão com dinheiro realizando o pagamento.
Como ganhar mais pelo serviço?

Na visão da uBeton, o melhor modelo de diferenciação é o empreiteiro ter expertise em métodos mais inovadores e eficientes. Produzir mais com menos, ou produzir o mesmo gastando menos. Para atingir isso, não basta fazer o mesmo processo de sempre e esperar resultado, é necessário inovar!


Para aqueles que prestam serviços em grandes obras, qualquer melhoria na produtividade vai impactar muito no resultado final. Pensando em uma obra com 10000 m² de paredes para pintar. Em um método “antigo” quantos pintores e ajudantes você vai precisar para lixar, preparar a superfície e pintar? E se usar equipamentos que ajudem no processo, como lixadeiras à bateria e sistemas de pintura airless? O aumento da produtividade por pedreiro faz com que você consiga entregar a obra em um prazo menor, portanto recebe o dinheiro pelo serviço antes. Ou, mesmo que execute no mesmo prazo planejado, consegue fazer o serviço com menos mão de obra - o que para os dias de hoje é muito bom, pois a carência por profissionais na construção é cada vez maior.


Homem usando a máquina aplicadora de argamassa para passar massa em porcelanato.
Máquina para aplicar argamassa em porcelanato

Usando um exemplo mais próximo da uBeton, quero simular aqui como você pode cobrar menos que seus concorrentes, ganhar mais dinheiro e ainda necessitar de uma quantidade menor de pessoas quando usa a massa polimérica para assentamento em contrapartida com a massa convencional.


Cobre menos e ganhe mais!

Vamos estudar um exemplo:


Premissas:

  • Obra com 2100 m² de alvenaria

  • Prazo para execução: 1 mês

  • Dias de trabalho no mês: 22 dias úteis

  • Produtividade média por pedreiro no método convencional: 15 m² de alvenaria / dia

  • Número de serventes por pedreiro: 2 serventes a cada 3 pedreiros


Considerando essas informações, para executar o serviço proposto, são necessários no mínimo 7 pedreiros e consequentemente 5 serventes. Dados os valores médios pagos para pedreiros (R$15,00/m² de alvenaria) e serventes (R$100,00 por diária) em grandes cidades no Brasil, o custo só com mão de obra, fica em R$45650,00.


Neste cenário estamos trabalhando com 12 funcionários no total, e contando com uma produção constante e sem problemas. Além disso, desconsiderei custos com ferramentas, betoneiras, carrinhos, entre outros.


Para as contas fecharem, um valor a ser cobrado do cliente seria de R$45,00/m² de parede. Isso daria um faturamento de R$94500,00 (R$45/m² * 2100 m² = R$94500,00). Retirando os custos da mão de obra, sobra R$48850,00 que devem ser usados para pagar despesas administrativas, despesas do escritório, reserva de emergência, impostos…


Por outro lado, usando a massa polimérica da uBeton no processo temos um cenário diferente:


  • Produtividade média por pedreiro usando massa polimérica: 30 m² de alvenaria / dia

  • Número de serventes por pedreiro: 1 serventes a cada 2 pedreiros


Com a massa polimérica, a produtividade por pedreiro fica em média 35 m² de alvenaria por dia. E como não tem a necessidade de misturar argamassa constantemente e nem ficar transportando de um lado para o outro, é possível trabalhar com apenas 1 servente para atender 2 pedreiros.


Logo, pegando o mesmo cenário de obra exposto anteriormente. Para fazer os 1000 m² de alvenaria em 22 dias são necessários apenas 3 pedreiros e 2 serventes - 5 funcionários no total.


Como a produtividade do pedreiro aumenta, ele consegue produzir mais por mês e assim você pode reduzir o valor que paga por m² para ele. E mesmo assim, ele irá ganhar mais:


Com massa convencional:


  • Qtde dias mês: 22

  • Produção/pedreiro/dia: 15,00 m²

  • Produção/pedreiro/mês: 330,00 m²

  • Salário pedreiro/m²: R$ 15,00 /m²

  • Salário mensal/pedreiro: R$ 4.950,00


Com massa uBeton


  • Qtde dias mês: 22

  • Produção/pedreiro/dia: 11,00 m²

  • Produção/pedreiro/mês: 770,00 m²

  • Salário pedreiro/m²: R$ 11,00 /m²

  • Salário mensal/pedreiro: R$ 8.470,00 - mesmo pagando menos por m² o pedreiro ganha mais!


Imagem da planilha que compara o quanto um empreiteiro consegue ganhar e cobrar ao usar a massa polimérica da uBeton para assentamento de alvenaria ao invés da massa convencional
Planilha com comparativo de métodos de assentamento

Além disso, para você ser mais competitivo no mercado, você consegue cobrar um valor menor por m² para os clientes. Se cobrar, por exemplo, R$40,50/m², retirando os custos de mão de obra, sobraria no final do mês R$55.240,00 - 13% a mais do que no cenário com a massa convencional.


Ou seja, neste cenário usando a massa polimérica:

  • Trabalha com uma equipe menor, o que facilita a gestão e diminui os custos

  • Se manter o mesmo tamanho de equipe, pode entregar antes o serviço e já iniciar outro trabalho - mais faturamento no mesmo período

  • Consegue cobrar menos do cliente, tornando sua empresa mais competitiva no mercado!


Se quiser fazer mais simulações e entender melhor como isso pode aplicar para a sua empreiteira, acesse a planilha que desenvolvemos onde você consegue simular esses valores e ver como pode ganhar mais dinheiro com a sua empresa.



No mais, espero que tenham gostado e que o conceito tenha feito sentido:


"Quanto maior a produtividade da mão de obra maior será o faturamento! "

Isso se aplica também quando analisamos custos de novas máquinas e equipamentos para auxiliar a obra - só pensar no impacto que teve com o surgimento da betoneira.


Qualquer coisa que precisar, fico à disposição!

Autor:

Fernando Casavechia Teixeira

Especialista em Lean Manufacturing pela PUCPR

Diretor Comercial na Ubeton

163 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O Novo Normal na Construção Civil

A construção civil é um sistema muito complexo. São muitas variáveis que precisam trabalhar juntas para que o sistema inteiro funcione...

Comments


bottom of page