Buscar
  • Fernando Casavechia

Saiba tudo sobre Argamassa Polimérica

Atualizado: Jul 30

Neste post vamos abordar todos os aspectos referente a argamassa polimérica, também conhecida como cola bloco, desde a sua aplicação, passando por normativas técnicas e dúvidas frequentes. A intenção é tirar todas as suas dúvidas sobre este produto.


O que é a argamassa polimérica?

Antes de qualquer coisa é importante conceituar este produto. A argamassa polimérica é um composto polimérico para assentamento de alvenaria de vedação vertical interna e externa sem função estrutural, que possui em sua composição resinas acrílicas, cargas minerais e aditivos químicos. Neste produto não tem adição de areia ou cimento.


Onde posso aplicar?

Este produto pode ser utilizado no assentamento de alvenaria de vedação de obras de qualquer porte (desde pequenas casas até prédios com mais de 20 pavimentos) e com todos os tipos de blocos - bloco de concreto, tijolo cerâmico, bloco areia-cimento, bloco celular - desde que esses blocos não tenham função estrutural.


Obra usando Argamassa Polimérica Ubeton

Esse produto tem alguma restrição de uso?

A argamassa polimérica ainda não é indicada para a utilização em alvenaria com função estrutural. Essa restrição deve-se ao fato da norma deste tipo de obra prever especificadamente a utilização de argamassa comentícia e uma espessura de junta de 1-1,5 cm no mínimo entre os blocos. Com a cola para bloco, não é possível obter essa espessura de junta entre os blocos, assim apesar da resistência que o material oferece, a uBeton não recomenda a utilização do produto nessa condição de alvenaria. Caso você queira utilizar na sua obra, que possui alvenaria estrutural, mesmo assim, contate o engenheiro responsável e os fabricantes para avaliar possíveis riscos.


Quais as vantagens da argamassa polimérica em relação a argamassa convencional?

A massa polimérica para assentamento de blocos e tijolos possui diversas vantagens quando comparado aos métodos tradicionais de alvenaria. Vamos ver algumas no detalhe:


  • Pronta para uso: A argamassa polimérica chega pronta para o uso na obra, não sendo necessário adicionar água ou qualquer outro aditivo na mistura. Essa característica do produto reduz muitos processos que seriam necessários para a preparação da argamassa convencional, como a utilização constante de betoneiras e carrinhos para transportar a massa;

  • Alto rendimento: Com uma barrica de 30 kg de massa polimérica, é possível assentar até 20 m² de alvenaria! Apenas um pallet de argamassa, ocupando muito pouco espaço na obra, é suficiente para construir até 1000 m² de parede! Comparando com a argamassa convencional, uma barrica de 30 kg de argamassa polimérica substitui até 600 kg de argamassa ensacada ou virada em obra;

  • Produtividade: A velocidade do assentamento aumenta em até 3 vezes quando comparado com o método convencional. Com a massa polimérica, um pedreiro e um ajudante assentam até 2500 tijolos em um dia. Pelo método normal eles conseguiriam assentar cerca de 800 tijolos por dia. Agora imagine o que isso pode representar. Vamos pensar que a obra conseguiu reduzir em 2 semanas o prazo previsto para entrega, o que isso significa? O construtor consegue desmontar o canteiro antes - reduzindo assim custos de aluguéis e instalações, o cliente da construtora recebe antes (ou ao menos no prazo) o seu novo imóvel - gerando satisfação do cliente com a construtora, o construtor/incorporador irá reduzir seu ciclo financeiro recebendo antes os pagamentos pelos imóveis... Ou seja, buscar por aumentar a produtividade e reduzir os prazos de entrega, sem obviamente perder a qualidade, deve ser a busca constante de toda construtora.

  • Ganhos logísticos: Os ganhos em logística interna na obra são gigantes. Como a maioria dos produtos pré-fabricados, o fato da argamassa não precisar de nenhum processo adicional no canteiro, a obra consegue uma redução de etapas de movimentação e transporte de materiais. Como esse produto substitui uma quantidade enorme de material, também acaba reduzindo muito o transporte de produtos dentro da obra. Um exercício mental é tentar pensar quantas vezes o elevador cremalheira ou guincho sobem com massa todos os dias em uma obra. Quanto isso custa para a obra? E se o elevador subisse apenas uma vez com toda a massa necessária para o dia de trabalho, às vezes com toda a massa para a semana. Esses custos, apesar de serem difíceis de serem calculados, são fundamentais para entender como esse produto pode otimizar uma obra;


Otimização de espaço com argamassa polimérica

  • Economia: Associando todos os custos envolvidos no assentamento de alvenaria é possível obter redução nos custos de até 40% quando comparado com o método convencional. Nessa conta devemos colocar, não apenas o custo do material, mas os custos logísticos, de pessoal, de armazenamento, custos de falta de qualidade...

  • Limpeza e organização: A geração de resíduos na fase de alvenaria cai drasticamente com massa polimérica. O produto tem uma taxa de desperdício muito baixa. Pela característica de aplicação do produto temos uma redução significativa da quantidade de que cai no chão no assentamento dos blocos. O material chega fica embalado em barricas, o que ajuda na organização e controle do estoque, pois a gestão visual da quantidade de material disponível fica muito melhor.


Embalagens Argamassa Polimérica Ubeton

E quais as desvantagens da argamassa polimérica?

O principal ponto negativo é a alta exigência de utilizar blocos com boa qualidade dimensional, ou seja, os blocos e tijolos utilizados no assentamento não podem ter diferenças superiores a 3 mm entre eles, pois a qualidade do assentamento fica muito prejudica. Com a argamassa convencional essas diferenças são insignificantes, pois o pedreiro apenas colocar um pouco mais de massa para compensar essa diferença. Como a junta formada pela argamassa polimérica é de 1 mm, qualquer diferença entre os blocos pode deixar a parede desnivelada e causar retrabalhos indesejados. Assim todos os fabricantes recomendam fortemente aos seus clientes que sempre procurem fabricantes de tijolos e blocos que tenham um bom controle dimensional dos seus produtos. Procure fabricantes que comprovem o atendimento da norma ABNT NBR15270-1:2017 " Componentes cerâmicos – Blocos e tijolos para alvenaria ", que indica todos os requisitos que os blocos devem cumprir.

A argamassa polimérica, possui alguma norma?

Em março de 2017 foi lançada a norma da ABNT 16590. Nela foram especificados os métodos de ensaio e caracterização do produto, mostrando ainda como o produto deve ser aplicado e em quais situações pode ser utilizado.

Os principais pontos da norma mostram que o fabricante deve comprovar a quantidade de água que a mistura possui, não é desejado que tenha muita água na formulação, pois assim irá "enfraquecer" a colagem. O segundo ponto é relacionado ao tipo de resina utilizada na fabricação do produto, isso para garantir a qualidade do composto.

E como é a aplicação do produto?

É muito fácil de utilizar a massa polimérica, por ela chegar pronta na obra, basta transferir a massa para o aplicador e passar dois filetes de aproximadamente 1 cm de diâmetro na superfície horizontal do tijolo. As instruções completas de como utilizar podem ser vistas no nosso site: Instruções de uso.


Como dois filetes de massa vão suportar as tensões?

A massa polimérica é fabricada a partir de uma resina flexível, que por sua natureza, garante uma acomodação boa das tensões impostas à parede. Assim, mesmo aplicando apenas dois filetes o material tem a elasticidade suficiente para a acomodação das deformações.


Preciso colocar tela de reforço na ancoragem?

Diferentemente da argamassa convencional, a massa polimérica consegue uma alta aderência tanto na viga quanto no tijolo. Desta forma, não é necessário a utilização de telas de reforço no assentamento de paredes. É importante que no assentamento os tijolos sejam cortados e posicionados de forma a obter a maior área de contato possível. Uma boa prática é começar com a ancoragem antes de continuar a parede.


O desempenho da alvenaria piora sem a argamassa na vertical?

Apesar de não ter a junta na vertical a acomodação das tensões é garantida sem problemas

pelas juntas horizontais. Outras características afetadas pela falta da junta vertical são:

  • Estanqueidade: posicionando com o espaçamento correto de até 3 mm entre os blocos, a estanqueidade tende a melhorar pois não haverá a infiltração por capilaridade, pelo fato do revestimento interno não estar ligado ao revestimento externo. Além disso, a argamassa polimérica possui impermeabilizante em sua formulação, dificultando mais ainda que uma infiltração se propague.

  • Isolamento acústico: baseados em ensaios da norma de desempenho, realizados por clientes da uBeton, a argamassa polimérica não prejudica o desempenho acústico do sistema de vedação. Nos ensaios fica evidente que a acústica é muito mais afetada por problemas em portas, janelas e espessura do sistema de vedação (largura do bloco + chapisco + emboço + tinta) do que pela utilização da massa polimérica no assentamento dos tijolos.


Ficou com mais alguma dúvida em relação ao produto ou quer conhecer um pouco mais sobre nossa empresa. Entre em contato conosco que iremos te ajudar no que precisar! Estamos aqui para ajudar no desenvolvimento do ecossistema de inovação da construção civil. Venha conosco nesse movimento!


26 visualizações
SOBRE NÓS

A uBeton busca constantemente trazer produtos inovadores que proporcionem um aumento de produtividade e qualidade nas obras de construção civil. Inovação e eficiência é o que nos move.

CONTATO

Rua Lourenço José de Paula, 2126 - Parque da Fonte - São José dos Pinhais/PR

E-mail: contato@ubeton.com.br | 

Telefone / WhatsApp: (41) 3206-3721

© Todos os direitos reservados uBeton.